PROGRESSO

Nos últimos anos o centro da cidade de União da Vitória-PR foi invadido por diversos edifícios, sinal que a cidade está crescendo.

Para contrastar com o progresso, a cada enchente do Rio Iguaçu, a cidade de União da Vitória é notícia em rede nacional com imagens divulgando o desastre.

Esta propaganda negativa causa incerteza por parte de empresários interessados em investir na cidade.

O que a grande maioria da mídia não divulga é que a cidade só é afetada pela maioria das enchentes por que existem muitas residências que foram construídas próximas ao rio. Na realidade 90% da cidade não é atingida pelas enchentes e se não existissem as residências próximas ao rio, a população da cidade nem lembraria da maioria delas. 


CONHECENDO E CONVIVENDO COM ENCHENTES

Depois de duas grandes enchentes do Rio Iguaçu (198310,42 mts. e 19928,89 mts.), lideranças de União da Vitória-PR. e Porto União-SC, decidiram criar a

CORPRERI (Comissão Regional Permanente de Prevenção Contra Enchentes do Rio Iguaçu).

Na época, tendo como presidente o empresário Dago Alfredo Woehl, foi iniciado um amplo estudo com a finalidade de achar a melhor alternativa para resolver os problemas das grandes cheias do rio Iguaçu na região.

Após muito trabalho e contando com a experiência de pessoas com muita experiência no assunto, inclusive com uma missão de especialistas japoneses (JICA), foi criada uma Cartilha com detalhes sobre todos os estudos e sugestões de como minimizar os efeitos das enchentes.

Elaborada pelo empresário Dago Woehl, no ano de 1999 a Cartilha finalmente ficou pronta e foi amplamente divulgada.

Diante da grandeza do rio, a melhor alternativa encontrada foi não desafiar a natureza e afastar-se das áreas de risco, mas infelizmente durante todos estes anos, nada ou quase nada foi feito para minimizar o problema.

Áreas de risco conhecidas por todos, estão a cada ano sendo mais habilitadas, contribuindo para as estatísticas negativas das imagens das cidades.

Quanto custa para cada cidadão bancar a retirada de centenas de famílias atingidas pelas enchentes?

Pelo menos grande parcela das pessoas que moram em área de risco já deveria ter sido removida para um local seguro.

Afinal, todos que pagam seus impostos gostariam de ver o dinheiro investido em melhorias para o progresso da cidade.

A seguir, duas fotos da enchente de 1983.

Av. Manoel Ribas.

Vista aérea das cidades.


Fotos da enchente de 2010 em

União da Vitória-PR e Porto União-SC

(Nível máximo da enchente de 2010 foi de 7,02 mts. em 08/05.)

 

 

 

 

 


 

TOPO      HOME  

Inicial     


FOTOS...

Bonanza V35

Na última terça-feira (17), aterrissou no Aeroporto José Cleto em União da Vitória-PR, a aeronave Bonanza-V35, procedente da cidade de Cascavel - PR.
Considerada por especialistas a melhor aeronave na sua categoria. Combina luxo, desempenho e segurança. Uma de suas atrações é a cauda em (V) que a diferencia das demais aeronaves. A foto é de Evandro Codagnoni.
PONTE!
A foto de Evandro Codagnoni revela a beleza da ponte Machado da Costa em uma manhã de inverno.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Pôr do Sol
A bela foto exibe as cidades de Porto União-(SC) e União da Vitória-(PR), que parecem pequenas diante da grandeza do Rio Iguaçu.
 
 
 
 
 
 
 
 

LUA CHEIA
Já está ficando comum aqui no site as belas fotos de Evandro Codagnoni. Desta vez a vista é de uma noite de lua cheia com o rio Iguaçu ao fundo.
 
 
 
 
 
 
 
 

ESPETACULAR!

Digna de prêmio. A foto de Evandro Codagnoni, tirada na noite de 16-12-2009 é daquelas que merece destaque pela beleza e principalmente pela dificuldade em conseguir registrar o exato momento da queda de um raio. Parabéns.
 
 
 
 
 

O PANFLETO NOSSO DE CADA DIA

Até parece provocação, nem bem o sujeito retira um panfleto que foi jogado na sua porta, já aparece outro.

Além da sujeira que se espalha pela cidade o tal panfleto é referência para os ladrões de plantão, pois acabam se acumulando nas residências onde os donos estão viajando, ficando assim, fácil para os “espertinhos” identificarem as casas que podem ser invadidas sem muitos riscos.

Já está mais do que na hora das autoridades tanto de União da Vitória-PR, quanto de Porto União-SC, tomarem providências concretas relativas a assuntos como: Panfletagem, os insuportáveis Carros de Som, Carroças e Ciclistas no centro das cidades entre outras coisas. São assuntos que uma vez resolvidos, só vem a contribuir para uma cidade melhor para todos. Será que é tão difícil?

Matéria enviada por internauta de União da Vitória-PR.

TERREMOTO NO CHILE

Leia o depoimento dramático de Rodrigo Brajovick que morou em Porto União-SC. e atualmente reside no Chile.

 

Obs. O texto foi transcrito na integra e algum eventual erro de Português é perdoável devido aos anos que Rodrigo deixou de morar no Brasil.

  

Meu Caro e lembrado amigo Evandro e amigos.

Antes de tudo, Obrigado, muito obrigado pelas mensagens e demonstrações de preocupação.

Segundo lugar, desculpe a demora em responder, mas como podem notar pelas noticias, aqui as coisas recém estão começando a retomar seu lugar (os serviços).

A enchente que nos afetou em Porto União foi uma experiência muito forte com respeito aos estragos que a natureza pode fazer, mas nós, o nosso pessoal conhecido, lembrem-se, não fomos afetados em nossas casas e por isso podemos ter uma cabeça mais fria com tudo o acontecido.

Aqui foi outra coisa.

Todo mundo foi afetado e não havia onde escapar ou fugir para estar a salvo.

Todos iguais.

Eu me encontrava no meu sitio na montanha como todo fim de semana. Tinha ido dormir fazia pouco tempo, pois estava com 2 amigos e meus 4 cães. As 03h30min da madrugada meus cachorros (uma em especial, a Ginger) se ergueu da sua cama e começou a latir e agitar-se muito - ela é grande. Eu durmo (como  solteirão) com os 4 cachorros no meu quarto.

Em segundos começou um barulho forte como de um caminhão aproximando-se, ou como um trovão subterrâneo, logo o chão  começou a mexer com um movimento que foi aumentando cada vez mais forte.

A luz foi a primeira em cortar-se e ficou tudo escuro. Ainda bem que era lua cheia e alguma coisa dava pra enxergar.

Quando cheguei ao corredor da casa, eu já não podia ficar em pé; tudo na casa começou a chacoalhar e fazer um barulho enorme; tudo se quebrava, tudo caia ao chão...a geladeira caminhava...

Um amigo, o Antonio, alcançou a chegar à porta e a abriu, pois estas se trancam  pela pressão.

Tentei sair da casa, mas uma vitrine de taças e louças me tapou a saída.  Aí eu já figurava "surfando" sobre o piso tentando manter-me em pé procurando a saída e ao mesmo tempo, para que a vitrine (cheia de coisas) não me caísse em cima.

Juro que nunca, até então, tinha sentido a sensação mais clara de que ia morrer, vendo tudo tão de perto e tão consciente.

Curiosamente, não me deu por rezar como meu outro amigo, o Gustavo, que ao sair ao pátio rezava ajoelhado e em voz alta. Eu tive a sensação, mudo, de estar dizendo "a deus" a tudo.

Foram quase 3 minutos de inferno numa escala jamais sentida em 50 anos e o 5° terremoto mais forte da historia.

E justo me tocou a mim.... estar aqui.....

Nós (o centro do pais) tivemos 8 graus na escala de Richter e o sul do pais 8,8 (cataclismo).

Basta ver as noticias: ha cidades inteiras que desapareceram.

Em muitas o que o terremoto não derrubou, o mar fez o resto com um maremoto (tsunami) que veio 15 minutos após o tremor.

Teve o caso das ilhas Juan Fernández: o avô de uma menina de 12 anos chamou-a por telefone celular desde Santiago logo após o tremor e conseguiu avisá-la. Ela correu à igreja, arrombou a porta e fez soar os sinos. Com isto a cidade acordou e comessaram todos a fugir para os morros. Graças a isto só morreram 7 pessoas -  todas estrangeiras que não fizeram caso do alarme. O resto das pessoas, todas, se salvaram e viram como sua cidade desaparecia com uma onda de mar de 20 metros...

Aí não ficou nada, tudo foi derrubado pela água para depois esta arrastar os restos pra dentro do mar, as pessoas hoje estão dormindo no mato, mas estão vivas.

Depois que tudo passou não pudemos dormir nada, claro. (eu ainda não durmo bem) Não podíamos acreditar que estávamos vivos, recolhemos as coisas quebradas e perigosas; bebemos e fumamos em estado de shoque (eu não fumo faz 4 anos...).

Desde o primeiro minuto se cortou a eletricidade, e o telefone, não havia sinal de celular, nem de radio,  nem o radio do carro funcionava.

De madrugada seguiram outros movimentos menores, mas igualmente fortes. Durante o sábado foram contabilizados 72.... a cada 15 minutos vinha o próximo...até hoje vem as chamadas "replicas".

No domingo foram 42, na segunda 28, na terça 17, e hoje  vamos em 7, a ultima agora foi às 21 horas e  foi muito forte (marcou 6,5)

Tenho meu próprio "sismógrafo": é um Copo com água!!! Assim posso ver e logo sentir a intensidade daquele tremor que começa...

Esse dia ao amanhecer, após o tremor, me impressionei muito quando vi de cima da montanha, todo o vale com uma nuvem como se fosse um nevoeiro: era o pó que ainda estava no ar. Outro aspeto que me deu carne de galinha foi sentir que nenhum pássaro voava ou cantava, era um silencio terrível. Isso que eu estou no meio de uma floresta onde está cheio, pois eu cuido da preservação de muitas aves.

Pude retornar a Santiago. No domingo à tarde.

As autopistas (nosso orgulho de rodovias) todas desencaixadas nos cruzes das pontes e nas saídas, tem degraus de até 50 cm... As passarelas de pedestres todas no chão.

Santiago não perdeu a conectividade porque a autopista que bordeia o rio é subterrânea e foi planejada antisismica. Muitos prédios ficaram sem todos os vidros más estruturalmente em pé e resistiram. As que estão caindo e mostram na TV são poucas. Isso aqui, no sul os prédios colapsaram.

Santiago está com um ar de desolação, de bombardeio e de luto.

Tenho a sorte de contar com água, luz e agora com o gás (aqui é por cano subterrâneo)

Toda a cidade funciona ao 50%.

As sirenes tocam a cada instante pelas emergências.

Na minha casa em Stgo. não aconteceu nada, nada se quebrou. A minha empregada veio com a família prá ficar aqui no fim de semana, pois eu tenho luz e água. Agora no seu bairro tudo começou a chegar de a pouco, um serviço por vez.

A internet ainda é instável  e cai a cada instante.

A Alma e o Edo, por sorte, moram ao norte, em La Serena, aonde não se sentiu além dos 6 graus (suave comparando....)

Mas estão pensando seriamente em mudar-se da beira do mar para um apto. mais longe.

Em Promedio o maremoto nas cidades entrou 3 quilometros pra dentro desde a beira do mar...

A pior experiência  levou o Alex, minha cunhada Carolina e meu sobrinho Tomás de 3 anos... moram no piso 17....

V. não imagina como tudo aquilo se mexeu e ainda os pegou dormindo.

As portas logo se trancaram ao batente e não puderam sair. Quando o Alex conseguiu arrombar a porta do seu quarto já era melhor não fugir no meio do movimento e então se jogaram embaixo da cama a esperar que o prédio caíse... quando passou, saíram pelas escadas de emergência - cheias de gente em pânico e água que caía por todo lado (me contou que era que nem o Titanic...).

Tudo, tudo, na sua casa se quebrou e não presta. Claro, aquilo parecia um chocalho e nada ficou no lugar.

Ainda Bem, estamos com vida e sem necessidades. Temos de tudo, Graças a Deus.

Temos que ter paciência para que tudo volte à normalidade de há pouco.

Agradeço a Deus e ao destino por morar numa zona aonde não foi o miolo de tudo.

Não me atrevo a reclamar por nada que não funcione (bancos, internet, sinaleiros, lojas), pois em comparação com uma boa parte do país,  eu tenho tudo e minha família também.

Por favor, copie e mande este correio a todos aqueles que estão preocupados para que saibam que agradecemos esta demonstração de afeto e amizade.

Felizmente, agora tenho mais certeza de que voltarei a visitar o Porto União e os amigos.

 

Um forte abraço,

                         Rodrigo Del Carne

 

PS Desculpa a letra trêmula.... (piada mas é verdade, ainda está tremendo...)
NOTA: Rodrigo faleceu alguns meses após este depoimento.

Avião do deputado Rossoni sai da pista

O bimotor, Seneca V, de propriedade do deputado Valdir Luiz Rossoni, presidente do PSDB do Paraná, saiu da pista de pouso no aeroporto municipal José Cleto em União da Vitória perto do meio-dia desta quinta-feira (08/04).

De acordo com o piloto, a aeronave se desgovernou por uma falha no seu sistema de frenagem.

Na aeronave estava o deputado Rossoni e o piloto que, pelo que sabemos, não sofreram ferimentos.


TOPO      HOME